sábado, 31 de maio de 2008

Still Life: integrante comenta faixas de segundo CD

Still Life: integrante comenta faixas de segundo CD

O Still Life (Florianópolis/SC) divulgou o nome das músicas que devem fazer parte do segundo trabalho de estúdio (ainda sem nome definido) da banda catarinense. As onze músicas, que segundo eles já estão prontas, dão fim à história iniciada no debut “Still Life” e as gravações devem começar no final de julho, depois da comemoração de dez anos de banda.

Giuliano Schmidt (vocal e guitarra) comentou uma a uma as faixas desse trabalho, mostrando o que a banda está preparando e que o EP “HellCome” foi apenas um aperitivo:

Vanitas:
“Com certeza a música mais ‘pauleira’ que a Still Life já fez; tem uma pegada bem Thrash Metal na guitarra e uma batera bem nervosa”.

I'm Not Like You:
“Uma das pesadonas mais cadenciadas, tem um refrão bem marcante (daqueles q se houve uma vez e gruda na cabeça)”.

Downtrodden (a versão lançada no EP desta faixa pode ser ouvida em www.myspace.com/stilllifebr):
“Mais ou menos na linha da ‘I'm not like you’, porém um pouco mais arrastada, com um refrão bem forte também”.

Into The Fire:
“Essa segue mais a linha do primeiro álbum: riffs dobrados, dois solos e refrão bem melódico. Contará com uma participação especial nos vocais que ainda não podemos revelar (na verdade ainda não sabemos quem vamos chamar). Hehehe”.

Hellcome:
“Assim como a ‘Into the fire’, segue mais a linha do 1º álbum. Os riffs trabalham algumas dissonâncias bem interessante”.

Blackened Heart:
“Primeira balada do álbum. Essa tem um arranjo de orquestra bem legal junto às guitarras, baixo e bateria”.

When The Hero Bleeds:
“A mais ‘arrastadona’ de todas. Simples e com refrão bem marcante. Uma das poucas que gravei o solo de guitarra”.

The Words Should Not Be Told:
“Riff pesadão no estilo ‘I'm not like you’ com uma ponte e refrão mais na linha ‘Kill the captain’ e ‘Into the fire’”.

Tides of Tears:
“Outra balada, bem mais melancólica que a outra. Metade dela é apenas piano e voz”.

Scarlet Melody:
“A mais diferente de todas. Nem sabemos direito dizer com o que ela parece. Tem um jeitão meio Soft Rock apesar de mais pesada”.

Within The Infinite Nimbus:
“Encerramento do álbum e da história do "Crab Ship". Trata-se de uma música de 6 minutos instrumental orquestrada bem no estilo Richard Wagner”.

Fonte: Whiplash!

Nenhum comentário: